celulite: prevenção e tratamento

Celulite: causa, prevenção e tratamento

The estimated reading time for this post is 190 seconds

A celulite é um fenômeno fisiológico, ou seja, natural do processo de envelhecimento do organismo. Logo, não é considerada uma doença, mas representa grande prejuízo estético.

Ela afeta de 85 a 98% das mulheres de todas as raças e piora após a puberdade, sugerindo um componente hormonal no seu desenvolvimento.

Visualmente, as celulites aparecem como depressões do tipo casca de laranja no relevo da pele, podendo ser superficiais ou profundas.

Podem surgir em qualquer área do corpo que contenha gordura subcutânea. As mais comuns são coxas e nádegas.

Quais são as causas?

Fatores genéticos, emocionais, metabólicos, além de idade, sexo, pressão alta, sobrepeso ou obesidade e hábitos como sedentarismo, roupas apertadas e problemas de circulação predispõem o aparecimento da celulite.

As principais causas envolvidas são mudanças tanto na circulação sanguínea quanto linfática, que pioram com o sobrepeso e a obesidade, fazendo com que o fluxo sanguíneo nas áreas afetadas pela celulite seja até 35% menor do que na pele normal. 

Como a celulite afeta quase que apenas mulheres, o papel hormonal é muito importante. No período pré-menstrual normalmente ocorre a piora da celulite pela queda cíclica da progesterona. 

A flacidez de pele tanto agrava o problema quanto deixa-o mais evidente.

O papel da alimentação

Açúcar: a dieta hiperglicídica (rica em açúcar) eleva a glicose e a insulina no sangue, favorecendo a lipogênese, que é a produção de novas células de gordura. A preferência por carboidratos complexos e a inserção de fibras alimentares podem evitar o pico glicêmico, ajudando no combate à celulite.

Fibra alimentar: contribui na prevenção e é coadjuvante no tratamento da celulite, pois ajuda no manejo do peso, reduzindo níveis de colesterol e diminuindo a glicemia (evita os picos glicêmicos que favorecem a formação da celulite).

Gorduras: o excesso de alimentos ricos em lipídios favorece o depósito de gordura no tecido subcutâneo.

Bebidas gaseificadas: o gás carbônico contido nas bebidas com gás, após ingerido é convertido em ácido carbônico, que se deposita no subcutâneo, alterando seu pH, o que leva ao endurecimento das fibras proteicas (colágeno e elastina), que perdem a capacidade de reter líquido, fazendo diminuir a elasticidade da pele e do tecido adiposo.

Água: uma dieta rica em gorduras e carboidratos, alta ingesta de sal e pouca ingestão de água agrava o quadro microcirculatório. Recomenda-se beber 2 litros de água por dia, pelo menos. O sedentarismo piora as alterações vasculares e linfáticas.

Como tratar a celulite?

Existem manejos orais e tópicos no tratamento da celulite, com vários ingredientes vindos dos mais diferentes extratos botânicos.

Cafeína é um ativo poderoso que em alguns estudos se mostrou eficaz na redução da circunferência da coxa e do quadril, melhorando a textura e o relevo cutâneo, atenuando a celulite na maioria das mulheres. 

A cafeína tem efeito devido à sua atividade lipolítica em células de gordura (ou seja, destrói células de gordura). É o ativo mais indicado e mais seguro para uso em cosméticos, por isso foi escolhido para compor a formulação do Spray Gradual Anticelulite da Skelt. Clique aqui para conhecer o produto.

A bermuda neoprene com biocerâmica aumenta a circulação local – e pelo fenômeno da oclusão, aumenta a penetração dos ativos contidos nos produtos anti-celulite. A combinação de um anti-celulite com o uso da bermuda é mais eficaz. 

REFERÊNCIAS 

Lipodistrofia ginóide: conceito, etiopatogenia e manejo nutricional, Rev Bras Nutr Clin 2011; 26 (3): 202-6

Fisiopatologia da lipodistrofia ginóide, Surg Cosmet Dermatol 2015; 7 (2): 98-103

LEIA TAMBÉM

skelt tips | dicas em vídeos

Deixe um comentário