“Skelt foi o começo da minha recuperação da depressão”

Priscila Mambrini, 37 anos, é uma das milhares de mulheres que nos inspiram a fazer Skelt. Natural de Blumenau, em Santa Catarina, ela dá um show de força e autoestima.

No ano passado, a catarinense passou por um momento bastante delicado: terminou um casamento de 11 anos e precisou ir à luta para se reerguer. “Fui ao fundo do poço. Posso dizer que Skelt foi o começo da minha recuperação da depressão pós-separação”, revela.

Tudo começou com indicações de confiança. “Eu sempre fui branquinha, nunca gostei muito de sol, e a minha tia e a minha prima, que usam Skelt, me apresentam ao autobronzeador. Trouxe pra casa, passei, dormi e no outro dia acordei morena, linda e maravilhosa. A minha autoestima já foi lá em cima”, relembra.

Desde então, ela mantém o produto na rotina de maneira disciplinar. Usa sempre, para manter o bronze permanente. Não dispensou esse gesto de autoamor nem com a quarentena. “Mesmo trabalhando em casa, não abri mão da minha rotina. Segui levantando cedo, tomando um excelente café, me arrumando toda, passando autobronzeador… É muito bom me sentir bonita pra mim”, celebra.

Hoje, ela conta que aproveita muito a própria companhia e só faz o que gosta. Trabalha em uma cooperativa de crédito, se exercita, adora dar uma voltinha com suas inseparáveis cachorrinhas, Lela e Linda, adora ler a Bíblia e cultivar sua fé. 

Bronzeada e em boa companhia! Foto: arquivo pessoal

Só permanece o que agrega, inclusive Skelt. “Posso dizer que Skelt salvou minha vida levantando minha autoestima, hoje não abro mão de me sentir bonita, confiante”, finaliza.

LEIA TAMBÉM

skelt tips | dicas em vídeos

Deixe um comentário