Mulher passando creme no corpo.

Textura em creme: como saber se ela é ideal para o que você procura

The estimated reading time for this post is 257 seconds

Conforme novas tecnologias são aplicadas a cosméticos, elas se refletem automaticamente nos produtos que vemos nas prateleiras. Porém, algumas características, fórmulas e ativos são tão bons que permanecem mesmo com a ida e vinda de novidades. É o caso da textura em creme, tradicional e inigualável.

A textura em creme é o passe de entrada da maioria das pessoas no universo de skin/bodycare e uma velha conhecida para quem já o adentrou. Contudo, é preciso entender as características desse tipo de textura para concluir que ele é realmente o que você (e a sua pele) precisa no momento.

Pensando nisso, a Skelt preparou um guia repleto de informações sobre este e outros tipos de textura para você escolher o ideal! Garanta os melhores cuidados para a sua pele com as dicas a seguir.

Os tipos de textura

Para conhecer os tipos que existem, é importante que, primeiro, você entenda o que é uma textura. Para os ativos de uma fórmula serem aplicados em sua pele, é preciso adicioná-los ao que chamamos de veículo.

Para visualizar isso de uma forma mais simples, pense em uma sopa com macarrão e vegetais. Nesta analogia, esses ingredientes seriam os ativos do cosmético, enquanto o caldo da sopa, o veículo. 

O veículo não tem nenhum efeito no cuidado que o produto propõe, mas é fundamental para o sensorial de quem o usa. Além disso, ele pode conter propriedades que beneficiam a fórmula em si, seja prolongando a validade do produto, seja criando uma mistura mais homogênea dos ingredientes, por exemplo.

Existem diversas combinações de ingredientes nos veículos, as bases principais normalmente são água, óleo e álcool. Elas formam os seis principais tipos de texturas que temos atualmente:

  • creme;
  • sérum;
  • solução;
  • loção;
  • gel;
  • pomada.

O que é a textura em creme?

Quando falamos de um creme, há dois ingredientes principais que formam esse tipo de textura: água e óleo. Você deve ter aprendido, em algum momento, que essas são duas substâncias que não gostam de se misturar. Porém, para ir contra essa particularidade natural, usamos um pouco de ciência.

Dependendo da consistência do creme, podemos usar uma proporção maior ou menor de água e óleo. Para criar consistência e a fórmula não se separar, adiciona-se um agente emulsificante. É assim que chegamos à textura em creme com que já estamos tão familiarizados.

A história dessa textura é mais longa do que a maioria das pessoas imagina: cremes faciais existem desde o tempo dos romanos. Artefatos arqueológicos com mais 2000 anos contendo esse tipo de produto foram encontrados em Londres há cerca de 20 anos.

O primeiro cold cream, um tipo de creme facial, da história é creditado ao médico e filósofo greco-romano Cláudio Galeno (129–217). Misturando cera alba, água e azeite, ele chegou à textura que, desde então, vem sendo uma constante nos cuidados com a pele da humanidade.

Diferenciais da textura em creme

Mesmo com o creme sendo uma das opções mais comuns que há, quando passamos a entender um pouco mais sobre skincare, vem a dúvida sobre ele ser realmente a melhor opção. Muitas pessoas tendem a evitá-lo por acreditar que é um produto “básico”, mas não é o caso.

Existem vários motivos que tornam a textura em creme tão popular, especialmente para produtos hidratantes. Isso se dá porque ela, diferentemente de texturas mais fluidas (como um sérum), demora mais tempo para ser absorvida pela pele. 

Dessa maneira, a pele pode contar com essa hidratação oferecida pelo produto por mais tempo, além dos outros benefícios oferecidos. O mesmo vale para cosméticos que não necessariamente têm efeito hidratante, mas podem ter resultados aprimorados pela absorção lenta da pele.

Além disso, cremes formam uma camada protetora sobre a pele, protegendo-a de agentes nocivos e sujidades. A formulação de cremes também costuma ser mais concentrada, outra vantagem para quem busca produtos de alto aproveitamento.

Como escolher o creme perfeito

Para você escolher o produto cremoso ideal para a sua pele, a principal recomendação é contar com a indicação de um dermatologista. Assim, você vai garantir um cosmético que funcione com a sua pele e apresente resultados excelentes.

Podemos adiantar que peles secas e maduras costumam ter efeitos mais positivos ao utilizar cremes, em comparação a peles oleosas e mistas. Uma boa opção de meio-termo são os cosméticos com textura em gel-creme.

Também se lembre de que não é recomendado utilizar produtos corporais no rosto. Por isso, procure um creme para essas diferentes partes do corpo. Adicionalmente, você pode incluir produtos específicos para demais áreas, como pés e mãos.

Conheça o Shower Cream da Skelt!

Você sabia que a Skelt também tem um produto cremoso? Nosso Shower Cream promove hidratação e limpeza, deixando sua pele linda e perfumada com praticidade. Conheça e garanta já o seu, em nossa loja virtual oficial!

LEIA TAMBÉM

skelt tips | dicas em vídeos

Deixe um comentário